Técnicas Astrológicas de Prognóstico

Com este texto, deixamos algumas das técnicas utilizadas em Astrologia como prognóstico, sendo:

 

Podemos criar uma analogia e considerar as casas como o palco onde se desenrolam as nossas ações, os signos como o cenário em que estas decorrem e os planetas como os atores responsáveis pela experiência atuada e vivida. A vida é um processo de continuidade, como um livro que contem uma história onde estão inscritas as nossas experiências.

Através de técnicas astrológicas podemos perceber em que experiência evolutiva do processo existencial nos encontramos. Assim, a partir da fonte que o nosso mapa natal afigura, podemos progredi-lo de forma a saber, por exemplo, quais as tendências que ele nos revela para uma determinada idade.

Existem diversas técnicas de análise no mapa natal sendo umas mais confiáveis do que outras. No entanto, serão mais corretas se tivermos a certeza relativamente à hora de nascimento, sobretudo se estamos a considerar as direções primárias, cuja norma estabelece que um grau corresponde a um ano. Se a hora de nascimento não for a correta, vão surgir erros de cálculo e como assim o mapa traçado não nos dará indicações precisas.

As progressões são efetuadas através de cálculos matemáticos, o que nos leva a falar das chamadas progressões secundárias. Este método apresenta como critério a correspondência de um dia a um ano. Podemos verificar fazendo a progressão no mapa, que a posição dos planetas lentos é muito pouco significativa. No entanto, os planetas rápidos surgem noutras casas e signos. Também devemos dar atenção aos ângulos do mapa, tal como aos planetas mais lentos e alterações significativas. Estamos perante um mapa que nos possibilita perceber o momento evolutivo em que a pessoa se encontra.

As progressões secundárias revelam campos de experiência subjetiva, o modo como interiorizamos a experiência e como ela se reflete na nossa energia psicológica, mais do que a ocorrência de casuais eventos exteriores obtidos através dos trânsitos astrológicos.

Os trânsitos astrológicos são o movimento dos planetas nos céus e a sua relação com nosso mapa de nascimento. Eles personificam acontecimentos que são aparentemente de fonte exterior, além de alinhar connosco importantes ciclos. Marcam o tempo de forma mais global, qualificando momentos através de símbolos comuns a todas as pessoas, assumindo um importante instrumento que nos ajuda a entender de que forma ocorre o relacionamento da pessoa com o mundo que a rodeia. Em alguns momentos a pessoa estará harmonizada e rejubilando neste mundo, noutros estará desgostosa e desafortunada porque sente que o ambiente, que prevalece num determinado momento, lhe é adverso.

Dentro das técnicas astrológicas destacamos ainda a revolução solar. Da mesma forma que, na astrologia mundial, a importância da entrada da primavera é explicada pela tradição da partida do Sol (e de todos os planetas) a 0 graus de Carneiro, no levantamento do mapa individual o retorno do Sol ao seu lugar natal pode fornecer várias informações. Destacamos a importância da retificação do tema natal pelas revoluções solares e do papel das retrogradações dos planetas mais importantes no céu anual (ver “A técnica das revoluções solares” de Alexandre Volguine).

Na compreensão de um mapa astrológico ainda temos, e de igual importância, os aspetos. Aspetos vêm da relação angular entre os pontos planetária no zodíaco. O mapa astrológico é representado como um círculo 360. Este círculo é dividido em 12 segmentos iguais de 30 graus em cada (12 x 30 = 360). Uma divisão para cada um dos 12 sinais do zodíaco astrológico As posições planetárias são calculadas como posições dentro dos 30 graus de um sinal. Então, quando ouvir alguém dizer seu sol é a 15 graus de Escorpião, é que o sol está no meio do signo astrológico de Escorpião. A distância entre cada planeta no gráfico também está representada em graus. Se o Sol está em 15 graus de Escorpião e a Lua está em 15 graus de Capricórnio, são 60 graus de separação.

Escorpião é dois signos longe de Capricórnio (Vai Escorpião, Sagitário, Capricórnio, em seguida) para que conte 30 graus de 15 a 15 Escorpião/Sagitário e mais 30 graus de Sagitário 15 a 15 graus de Capricórnio.

Os aspetos principais são:

Conjunção - 0 graus (planetas próximos uns aos outros). Conjunções adicionar ênfase para os planetas e assinar envolvidos. Pode ser favorável ou desfavorável, dependendo dos planetas envolvidos. Quando as energias estão unidas e misturadas, a conjunção pode formar um ponto cego quando se tenta distinguir entre as qualidades ou energias envolvidas.

Sextil - 60 graus - geralmente considerado um aspeto macio, um em que há uma falta de tensão entre as energias planetárias. Atração e autoexpressão é reforçada; cooperação harmoniosa. Eles apontam para o talento e a facilidade e energias que podem ser dirigidos.

Quadratura - 90 graus - Considerado um aspeto rígido. Energia atrito, forte e intenso. Cardeal - ação rápida; fixas - medida de ação e estável; mutáveis - pode ir de qualquer maneira. A tensão envolvida pode ser um estímulo para a ação, vivida como stresse, ou ser representado por eventos inesperados e indesejáveis.

Trigono - 120 graus - Considerado um aspeto macio. Os signos envolvidos são geralmente do mesmo elemento (fogo, terra, ar ou água). Energia geralmente favorável, aceitando, leve e alegre, o espírito fácil, criatividade, prazer, facilidade em fazer as coisas. Traz talentos ou a energia que parece natural, tão natural que não pode sequer ser percebido conscientemente ou realizado.

Oposição - 180 graus - Considerado um aspeto rígido. Pode representar lealdades divididas, balançando uma forma, então o descontentamento de outra, interna e incerteza, a consideração de múltiplos pontos de vista.

Aspetos menores incluem:

Semi-sextil (um Inconjunto) - 30 graus. Os planetas envolvidos num semi-sextil geralmente estão em signos do zodíaco adjacentes e não compartilham as mesmas qualidades (cardinal, fixo ou mutável) ou mesmo elemento (fogo, terra, ar ou água). Considerada como tendo um aspeto leve, não tão harmonioso como o sextil.

Semi-quadratura - 45 graus. Aspeto rígido. Fricção causas, pede para a ação.

Quincuncio (outro Inconjunto) - 150 graus. Aspeto rígido. Os planetas envolvidos num quincuncio não compartilham as mesmas qualidades (cardinal, fixo ou mutável) nem compartilham o mesmo elemento (fogo, terra, ar ou água). Representa ajustes, reorganização de prioridades, a tensão, redirecionando.

Quintil (divisão do círculo por 5) - 72 graus. Um aspeto suave que representa talentos criativos, e tem uma conotação espiritual.

Orbes - Planetas são raramente separados pelo número exato de graus indicados para os diferentes aspetos, de modo astrólogos utilizam uma esfera de influência. Astrólogos variam no número de graus que eles usam para essas esferas. Mas, como regra geral, de 7 a 8 graus é comumente utilizado para os aspetos principais e de 1 a 3 graus para aspetos menores. Além disso, o sol e a lua são muitas vezes dadas esferas maiores, de até 10 graus para os aspetos mais importantes.

Padrões astrológicos também olhar para os padrões feitos por diferentes grupos de planetas. Alguns dos padrões mais comuns são:

Stellium - Isto é, quando três ou mais planetas estão em conjunção, estreitamente agrupados ou ocupar a mesma casa.

Quadratura em T- Quando dois ou mais planetas estão em oposição e eles quadrado de um terceiro planeta. O terceiro planeta é o ponto focal e o ponto de maior tensão.

Grande Cruz da Quadratura - Quando dois pares de planetas estão em oposição e ao quadrado para o outro. Se desenhar os aspetos, eles visualmente têm forma de uma caixa com uma cruz dentro. Cria uma grande dose de tensão e desafio.

Grande Trigono - Quando três planetas, geralmente no mesmo elemento, são cada um com aproximadamente 120 graus um do outro. Um grande trígono assume as qualidades dos elementos que ela representa. Um trígono de fogo tem unidade, trígono de terra representa um prazer estável procura de energia, o trígono do ar é mais intelectual, e um trígono de água é intuitivo e emocional.

Yod - Este padrão é formado quando dois planetas estão em sextil uns aos outros e cada um deles ligar-se com um terceiro planeta 150 graus de distância. O terceiro é o ponto de disparo do Yod. Considerado um padrão de aspeto fadado. Representa lições e questões a serem superados.


Artigo realizado por Isabel Guimarães

Português, Portugal